NOTÍCIAS

Mais agilidade na análise de patentes da área de Ciência e Tecnologia


06 de setembro de 2017

Projeto piloto irá beneficiar empreendedores do setor, que poderão ter a análise do pedido de patentes concluída em até 10 meses.

Dez anos. Essa é a média do tempo que leva para a análise de um pedido de patente no Brasil. A morosidade do sistema desestimula muitos inventores, que por vezes desistem do processo ou buscam no exterior a oportunidade de obter a patente de forma mais rápida: nos EUA, por exemplo, a análise dura em torno de três anos.

Para os empreendedores da área de Ciência e Tecnologia, o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) traz uma boa notícia: no final do primeiro semestre, o Instituto lançou um projeto piloto que promete reduzir de 10 anos para até 10 meses o prazo para concessão de patentes no segmento.

A medida visa estimular a proteção da propriedade intelectual no país e tem um histórico de sucesso: antes de ser aplicada ao setor de Ciência e Tecnologia, foi usada em benefício das patentes verdes (produtos e serviços voltados ao meio ambiente).

De acordo com a assessoria de comunicação do INPI, o projeto piloto terá duração de um ano ou até que 200 pedidos de patente sejam considerados aptos pelos examinadores.

Para requerer o exame prioritário de patente de produtos e serviços inovadores desenvolvidos pelas instituições de Ciência e Tecnologia, o interessado deve consultar o passo a passo do processo no link do projeto piloto na página do INPI.

Ficou interessado? Entre em contato com a Intellinova. Nossa equipe especializada dará todo o suporte necessário, garantindo o cumprimento de prazos para envio de documentos e o bom andamento do processo de concessão de patentes.