NOTÍCIAS

Atenção, inventor! Garanta os direitos sobre a sua invenção


16 de agosto de 2017

O brasileiro tem vocação para inovar. Porém, para reivindicar a autoria e o direito de exploração comercial da sua criação, existe apenas um caminho: solicitar a patente junto ao INPI.

O Brasil é conhecido por ser berço de criações que revolucionaram pequenas atividades do dia a dia: o escorredor de arroz, o abridor de sachês, o estrado de madeira para camas e a tampa abre-fácil para potes de conservas, por exemplo, são patentes nacionais.

Por falta de conhecimento, muitos inventores perdem o direito de explorar economicamente as suas criações por não estarem atentos a um detalhe que na prática, faz toda a diferença: o pedido de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI).

A patente é o único documento que garante a exclusividade de exploração comercial de uma invenção, bem como sua cessão ou licenciamento a terceiros. Ao fazer a solicitação, é preciso estar atento a alguns aspectos importantes:

. Faça uma pesquisa nas informações contidas em documentos de patentes disponibilizadas pelo INPI e outros bancos de dados. Assim, você evita o contratempo de solicitar a patente de algo já existente.

. Esteja atento: ideias abstratas, descobertas científicas, métodos matemáticos ou inventos que não possam ser industrializados não podem ser patenteados.

. Se certifique que a sua invenção é uma novidade e que nunca foi divulgada.

. Tenha bem definida a atividade inventiva da criação.

Lembre-se que, além das criações inéditas, também podem ser patenteadas melhorias no uso de um objeto já existente. A patente tem validade pelo período de 20 anos, nos casos de patente de invenção, ou 15 anos, quando se trata de uma patente de modelo de utilidade.

Ainda tem dúvidas sobre pedido de patentes? Entre em contato com a Intellinova e converse com um dos nossos consultores especializados em propriedade intelectual!